NotíciasParaíba

Morte da “rainha do Cafuçu” causa pesar nos meios artísticos e culturais do Estado

Reações de profundo pesar espalharam-se desde a noite de ontem em redes sociais quando foi divulgada a notícia da morte da professora aposentada Socorro Mendes (Corrinha), natural de Cajazeiras e rainha ou embaixatriz do bloco carnavalesco “Cafuçu” que participa das prévias de Momo em João Pessoa e se caracteriza pela irreverência e pela forma caricatural como se exibem os seus integrantes. Socorro Mendes tinha 63 anos de idade e faleceu no Hospital Universitário Lauro Wanderley, tendo o velório sido programado para a Central São João Batista e o sepultamento no cemitério do Parque das Acácias, no bairro José Américo.

Artistas como Buda Lira, que participou recentemente de uma série na TV Globo, e professores como Bertrand Lira, externaram, nas redes sociais, suas condolências à família de Socorro Mendes e aos integrantes do bloco “Cafuçu”, destacando que ela era uma figura que tinha profundo amor pela vida e materializava tais sentimentos no estilo irreverente e na empatia que desenvolveu nas relações interpessoais. “Corrinha” era muito querida, também, nos meios jornalísticos paraibanos, que a cada desfile do bloco “Cafuçu” abriam espaços para entrevistá-la e mostrar sua fantasia para a folia.

A professora e foliã debatia-se com um câncer na gengiva desde junho do ano passado. Em setembro iniciou o tratamento, finalizado em novembro. As sessões de quimioterapia e radioterapia a que Socorro Mendes submeteu-se apontaram a existência de nódulos nos pulmões. Levada para o Hospital Universitário Lauro Wanderley, ficou internada desde os primeiros dias de 2018, até ontem à noite, quando se deu o desfecho.

Fonte: OsGuedes

Tags: Tags: