Fale Conosco

Morreu no hospital o vigia que ateou fogo em crianças de uma creche em Janaúba, no Norte de Minas Gerais, nesta quinta-feira (5). A informação foi confirmada pela assessoria da unidade às 14h50. Damião Soares dos Santos, de 50 anos, era funcionário efetivo da prefeitura desde 2008.

Segundo a Polícia Militar, ele jogou álcool nas crianças e nele mesmo e, em seguida, ateou fogo. Quatro crianças de 4 anos morreram no local; veja quem são as vítimas.

A prefeitura informou que Damião pediu afastamento no mês de setembro alegando problema de saúde. Nesta quinta, ele foi à creche entregar o atestado médico e cometeu o crime. A prefeitura não esclareceu qual era o problema de saúde informado pelo funcionário.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

Mortos e feridos

Segundo o Instituto Médico-Legal da cidade, morreram no ataque:

De acordo com a assessoria do Hospital Regional de Janaúba, cerca de 40 pessoas foram atendidas pela unidade – 25 delas foram internadas com queimaduras e 15, que estavam em estado de choque, já foram liberadas.

Entre os pacientes internados, 14 são crianças com idades entre 4 e 5 anos. Também há funcionários da creche entre os feridos. Todos os internador tiveram mais de 20% do corpo queimado, e 15 pessoas respiram com a ajuda de aparelhos.

Os nomes dos feridos ainda não foram divulgados.

A Polícia Militar informou que uma aeronave da PM está no local para socorrer as vítimas. Ainda segundo a PM, um avião do governo do Estado foi de Belo Horizonte para Janaúba para transportar os feridos até o Hospital João XXIII, na capital mineira, que é referência em tratamento de queimaduras em Minas.

A cidade de Janaúba tem quase 67 mil habitantes, segundo o último Censo feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010, e está a cerca de 600 km da capital mineira.

Falta de materiais hospitalares

O hospital de Janaúba, para onde os feridos foram levados, precisa de doações de materiais que são usados no tratamento de queimaduras.

De acordo com a diretoria do hospital, não há mais materiais disponíveis na cidade, e a equipe do local agora trabalha na triagem dos estoques que restaram e das doações que estão chegando no estabelecimento.

Fonte: G1