Fale Conosco

Um dos fundadores do grupo Fundo de Quintal, o sambista Almir Guineto morreu, aos 70 anos, na manhã desta sexta-feira (5), no Rio de Janeiro. Ele estava em tratamento no Hospital Clementino Fraga Filho, da UFRJ, mas teve complicações de problemas renais crônicos e diabetes. 

Fazia 15 meses que Guineto sofria de problemas renais, o que o afastou da agenda de shows. Ainda não foram divulgados horários de  velório e o sepultamento. 

Sua vida toda, desde a infância, estava ligada ao morro e à escola Acadêmicos do Salgueiro, assim como sua família era voltada ao universo do samba: seu pai, Iraci, era violonista e integrava o grupo Fina Flor do Samba; sua mãe, Nair, era costureira da Salgueiro; e seu irmão, Francisco, foi um dos fundadores do grupo Originais do Samba. 

Em 1979, ele se mudou para São Paulo, como cavaquinista dos Originais do Samba. No ano seguinte, ajudou a fundar o Fundo de Quintal, no Rio, com Bira, Jorge Aragão, Neoci, Sereno, Sombrinha e Ubirany. Mas deixou o grupo assim que gravou o primeiro disco, Samba é no Fundo de Quintal, para seguir carreira solo.

Em 1986, lançou o álbum Almir Guineto, com a participação de vários outros bambas, como Zeca Pagodinho. Suas composições foram gravadas por vários outros intérpretes e compositores, como Arlindo Cruz e Beth Carvalho.

Fonte: A Tribuna