Fale Conosco

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, defendeu nesta quarta-feira (28) a investigação dos problemas no programa de internet sem fio gratuita em João Pessoa (PB), chamado Jampa Digital, revelados em reportagem do “Fantástico”, neste final de semana.

“Você tem um serviço em que se gastou um dinheirão e não está funcionando, é um problema gravíssimo. Somando ao fato de que tem denúncias, fortes elementos mostrando que teve fatos estranhos, tem que ter uma investigação, uma resposta muito clara sobre esses assuntos”, disse Bernardo, após cerimônia no Ministério das Comunicações, em Brasília, em que anunciou um projeto para financiar a instalação de rede de internet banda larga em 80 cidades do interior do país.

A reportagem do “Fantástico” constatou falha no Jampa Digital. Durante 30 dias, a equipe tentou várias vezes, sem sucesso, realizar conexões em diversos pontos da cidade. O prazo para a conclusão do projeto é dia 1º de outubro deste ano, segundo convênio firmado com o Ministério da Ciência e Tecnologia.

Segundo a Prefeitura de João Pessoa, o Jampa Digital foi orçado em R$ 27 milhões, quando foi concebido em 2010, mas a prefeitura alega que o governo federal contingenciou os recursos e repassou apenas R$ 4,7 milhões e que ela investe R$ 1,5 milhão.

O programa exibiu um vídeo da festa de anúncio do projeto, com presença do ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, que na época era secretário de Ciência e Tecnologia de João Pessoa.

Num show de rock numa praia da capital paraibana, Ribeiro declarou: “Está aí, internet de graça para toda a galera de João Pessoa. Parabéns”. O Jampa Digital previa que a cidade se tornaria a primeira capital digital do país, que também seria monitorada por câmeras e teria as escolas informatizadas.

Questionado sobre o envolvimento do nome de seu colega ministro das Cidades na denúncia, Paulo Bernardo disse que não comentaria. Ele afirmou, porém, que “a administração pública tem que explicar o que aconteceu.” “Quem executou o projeto tem que dizer o que aconteceu”, afirmou o ministro.

Nesta terça-feira (27), a Controladoria Geral da União (CGU) informou que realiza uma auditoria no projeto de internet sem fio gratuita em João Pessoa (PB). O procedimento ainda não tem prazo para ser concluído.

VNews