Fale Conosco

“A suspensão da venda da Fazenda Cuiá é a primeira de uma série de escândalos que vai surgir em João Pessoa, envolvendo a administração pública municipal”. Esse alerta foi feito, agora a pouco, pelo líder da oposição na Câmara Municipal da Capital, vereador Fernando Milanez (PMDB), ao avaliar a decisão do Ministério Público que moveu Ação Civil Pública contra o Município. “O que nós prevíamos aconteceu. Isso marca definitivamente a gestão trágica que vem ocorrendo na cidade”, declara.

Fernando Milanez desafia o líder do prefeito Luciano Agra (PSB) na Câmara, vereador Bruno Farias (PPS), a dizer, como fez anteriormente, que a bancada de oposição está faltando com a verdade, está tentando criar factóides para inviabilizar a administração municipal e está querendo jogar a população contra a Prefeitura e Governo do Estado. “O líder do governo, Bruno Farias, vivia com ironias com a oposição, dizendo que a gente estava mentindo, fazendo denúncias inverídicas, tentando jogar o povo contra a gestão municipal. Tai o resultado”, comenta. Milanez fez ainda a seguinte indagação: “Quem está faltando com a verdade agora?”.

O líder oposicionista prevê que outros escândalos com o mesmo impacto ou muito mais graves vão estourar nos próximos dias. “Agora, foi o caso Cuiá. Mas vem por aí o caso da má qualidade da merenda escolar, a destruição da pista do Aeroclube da Paraíba, a regulamentação das organizações sociais. Esperem pra ver”, prevê. O parlamentar deixa claro, entretanto, que a oposição não está feliz com essa situação e considera o prefeito Luciano Agra como sendo uma das maiores vítimas do grupo que, segundo ele, está no poder.

“Luciano está sendo vítima das ordens do Palácio da Redenção. Não estamos felizes com isso. Mas temos compromisso com a população de João Pessoa e alguém vai ter que pagar. Ser punido pelos atos ilegais, pelo descalabro que o Município vem passando”, acrescenta. Fernando Milanez lamenta que o prefeito não tenha tido a coragem de se impor e não aceitar as ordens advindas do governo estadual. “Quem está no poder hoje sempre teve o costume de usar alguém para tomar decisões e fazer as coisas por ele”, ressalta.

O peemedebista não poupou elogios a decisão tomada pelo Ministério Público: “A Justiça da Paraíba é séria e competente. Nós não temos ninguém por nós a não ser a Justiça”.