Fale Conosco

Na noite de ontem (17), Eduardo dos Santos Pereira, condenado a 108 anos de prisão por ser considerado o mentor do estupro coletivo que resultou na morte de duas mulheres na cidade de Queimadas, em 2012, fugiu da Penitenciária de Segurança Máxima Doutor Romeu Gonçalves de Abrantes de João Pessoa, o PB1. Conforme informações do secretário executivo da Administração Penitenciária, João Paulo Barros, a fuga ocorreu entre 19h e 20h, onde Eduardo conseguiu escapar pela porta lateral que dá acesso ao almoxarifado da unidade penitenciária.

Segundo informações dadas ao G1, o delegado geral da Polícia Civil, Isaías Gualberto, afirmou que os quatro policiais penais que faziam a segurança do setor foram encaminhados à Central de Polícia ainda na noite de ontem, para prestar esclarecimentos e que um deles foi autuado por facilitação culposa e, em seguida, liberado. Um inquérito será instaurado para investigar detalhes de como ocorreu a fuga. Até a manhã de hoje (18), a polícia não tinha notícias do paradeiro de Eduardo dos Santos.

A “Barbárie de Queimadas” aconteceu no dia 12 de fevereiro de 2012, quando cinco mulheres foram estupradas durante uma festa de aniversário e duas delas mortas, a professora Isabela Pajuçara Frazão Monteiro, de 27 anos, e a recepcionista Michelle Domingues da Silva, de 29 anos, por terem reconhecido os agressores. Eduardo Santos foi o último dos envolvidos no crime a ser julgado. Em setembro de 2014, foi considerado culpado por dois homicídios, formação de quadrilha, cárcere privado, corrupção de menores e porte ilegal de arma, além de cinco estupros, acumulando a sentença de 108 anos de prisão. Outros cinco homens também foram condenados e três adolescentes foram sentenciados a cumprirem medidas socioeducativas.