Fale Conosco

Desconfio seriamente que a ORCRIM que comandou a Paraíba nos ultimos 14 anos, oito no Governo e seis na Prefeitura de João Pessoa, além da prática criminosa do furto também teria sujado as mãos com queimas de arquivo.

Digo isso pela convicção primeira que tenho sobre a trama para silenciar o jovem Bruno Ernesto, técnico em TI que teria tido acesso a informações perigosas sobre o Jampa Digital e foi executado em Barra de Gramame, após ter sido sequestrado próximo ao prédio onde morava.

E agora o meu felling de jornalista investigativo me diz que devo me debruçar sobre o “acidente” que matou o Coronel Chaves, no dia 7 de agosto de 2014, que, segundo a versão, bateu de frente em outro carro quando trafegava proximo a cidade de Patos de madrugada.

O coronel era o chefe da Casa Militar e responsável, segundo delações premiadas, pela segurança dos propineiros oficiais do universo girassol durante as idas e vindas de malas e caixas com milhões de reais.

Tenho dito que essa ORCRIM do PSB é capaz de qualquer coisa e o GAECO deve investigar tudo, inclusive a ligação com essas mortes misteriosas.

Dércio Alcântara