Fale Conosco

O dia promete ser agitado. Andrés Sanchez entregou oficialmente o cargo de diretor de seleções na manhã desta quarta-feira, Carlos Alberto Parreira e José Carlos Brunoro foram consultados para ocupar a função de coordenador e o substituto de Mano Menezes será anunciado nesta quinta-feira. “Esperamos anunciar nesta quinta-feira o nome do novo técnico da seleção”, confirmou Marin, durante evento no Itaquerão. “O cargo de diretor de seleções está extinto e vamos criar o de coordenador”, completou o dirigente. Felipão é o mais cotado. A saída de Andrés era uma questão de tempo. O ex-presidente do Corinthians se rebelou contra o presidente José Maria Marin após não ser consultado sobre a demissão de Mano, anunciada na sexta-feira da semana passada.

A intenção do dirigente era deixar o cargo na última terça-feira, mas recuou, prometendo ficar no cargo até sábado, alegando que o Brasil ficaria sem um representante no sorteio da Copa das Confederações.

A declaração irritou Marin, que antecipou seu planejamento, e conversou com Parreira e Brunoro para ocupar esta nova função na CBF. Andrés então decidiu entregar uma carta na manhã desta quarta-feira, oficializando seu pedido de demissão. Com um coordenador do quilate de Parreira ou Brunoro, o técnico será muito provavelmente Luiz Felipe Scolari. A contratação de um nome de peso era uma das condições de Felipão para aceitar voltar à seleção brasileira. O nome do ex-treinador do Palmeiras é o preferido de Marin e do presidente da Federação Paulista de Futebol e vice da CBF, Marco Polo del Nero.

Apesar das negativas de Felipão ao ser questionado se já havia sido procurado pela CBF para ocupar o lugar de Mano, os contatos estão avançados. Não à toa, Marin promete anunciar nesta quinta-feira o nome do novo treinador.