Fale Conosco

Mais de 140 mil pessoas ainda não têm acesso ao esgotamento sanitário na Paraíba. É o que revela a PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), divulgada nessa quinta-feira (18), pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). De acordo com os dados do órgão, em 2013, 143 mil moradores não tinham acesso ao serviço no estado, o que representa 3,64% do total de habitantes. Em 2012, 169 mil não possuíam nenhum tipo de ligação com a rede coletora de resíduos.

Apesar da pequena redução, os números são preocupantes já que a falta de saneamento pode gerar vários tipos de doenças na população como diarreia (principalmente entre as crianças), leptospirose, poliomielite, cólera, dengue, esquistossomose, disenterias, hepatites e verminoses, entre outras.

O levantamento do IBGE mostrou que em 2012, três milhões e 684 mil paraibanos ou 95,61% da população tinham algum tipo de esgotamento sanitário. Em 2013, a situação melhorou um pouco com a inclusão de mais 89 mil pessoas ao serviço. Agora, são três milhões e 773 mil.

Com relação aos domicílios atendidos pelo esgotamento sanitário, o total em 2012 era de um milhão e 130 mil moradias. No ano passado, houve uma pequena melhora com o número passando para um milhão e 168 mil habitações com o serviço. Já as residências sem o esgotamento caiu de 51 mil em 2012 para 46 mil em 2013.

O número de moradores atendidos pela rede coletora de esgoto – que são as tubulações que recebem os esgotos gerados nas residências – em 2013 era de um milhão e 985 mil habitantes, o que representa 50,7% da população do estado. Com relação aos domicílios, em 2013, 630 mil tinham acesso à rede de coleta ou 51,88% do total de moradias.

BG