Fale Conosco

Na noite deste domingo (07), mais 15 pacientes vindos de Manaus foram transferidos para a Paraíba. A ação foi uma força-tarefa entre a Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Ministério da Saúde, Ministério da Educação, por meio da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), e o Hospital Universitário Lauro Wanderley (HU), em conjunto com a UFPB e a Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa. 

A aeronave com os amazonenses chegou ao Aeroporto Castro Pinto, na Grande João Pessoa, às 19h52 e a primeira ambulância saiu do local às 20h08. Toda a operação de transferência para o HU da Capital durou em torno de 50 minutos.

Segundo o superintendente do HU, Marcelo Tissiani, esta ação humanitária tem o objetivo de trazer os pacientes que estão sem leitos em Manaus para poderem ser tratados no hospital e terem sua saúde restabelecida. 

A respeito dos primeiros pacientes transferidos para o hospital em janeiro, o superintendente afirma que 15 já tiveram alta e voltaram para suas casas. Somente dois seguem internados no lugar. “Os dois que ainda se encontram no hospital precisaram de um suporte da UTI. Um permanece e outro já recebeu alta para a enfermaria”, justifica.

O secretário executivo da Saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, destaca que esta foi uma operação complexa. Ele explica que foi preciso 15 ambulâncias à disposição. “Esse é o terceiro desembarque do povo amazonense aqui na Paraíba. Reforçamos que somos todos nós juntos, irmanados, um só país, um só Sistema Único de Saúde e esse é o papel do SUS. É uma infraestrutura complexa, mas a Paraíba aprende com isso. O seu plano de contingência agora tem mais essa competência adquirida que é a todo e qualquer momento poder apoiar as outras unidades federadas do Brasil”, pontua. 

Os 15 pacientes que chegaram neste domingo apresentam um quadro moderado ou grave. São adultos jovens, com idades entre 26 e 62 anos, sendo 05 mulheres e 10 homens. O hospital de referência na Paraíba, em João Pessoa, é o Hospital Universitário Lauro Wanderley, mas a Central Estadual de Regulação Hospitalar e o Hospital Prontovida também estão de retaguarda para prestar apoio complementar quando necessário. 

As coletas do exame de Swab foram realizadas e as amostras se encontram no Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba (Lacen-PB) para fazer o sequenciamento. O intuito é manter a vigilância laboratorial do estado vigente e saber a variante do coronavírus que os pacientes estão portando.