Notícias

Mãe enterra feto de sete meses em um curral, orientada por funcionário de hospital

Nem tudo no carnaval é festa e nem sempre a polícia é chamada para apartar brigas entre foliões ou os pequenos furtos que ocorrem muito nesse período devido a descuidos.

Lá no sertão, segundo reportagem do site Folha do Sertão, uma denúncia anônima levou a guarnição da Polícia Militar do destacamento da Cidade de Aparecida até o Assentamento Acauã, Zona Rural de Aparecida, neste sábado (09) para averiguar um cadáver enterrado num curral.

Ao chegar ao local, constatou veracidade do caso. Um feto de sete meses de gestação, pesando 412 gramas, fora sepultado no dia 03 deste mês, após a agricultora Danielle Leandro Pereira ter entrado em trabalho de parto, consecutivamente, um aborto.

Mesmo assim, a mulher teria ido até o Hospital Materno Infantil, examinada, internada, em seguida, pariu o feto natimorto do sexo masculino, pesando 412 gramas.

O casal: Danielle Leandro Pereira e Gildivan Claudio de Sousa teria sido orientado por um funcionário do Hospital que não precisava enterrar o feto no cemitério, por isso, pediu aos familiares que sepultasse o natimorto no curral ao lado de sua residência no Assentamento Acauã.

A guarnição que atendeu a ocorrência lavrou um Boletim, depois encaminhou o caso à delegacia para as medidas necessárias ao caso.

Será que um dia saberemos que orientou essa mãe a enterrar o feto em um curral?

Com Folha do Sertão