Fale Conosco

Em discurso no município de Lagarto, onde recebeu o título Doutor Honoris Causa da Universidade Federal de Sergipe, nesta segunda-feira, o ex-presidente Lula destacou os avanços do Brasil na educação superior no seu governo e no de Dilma Rousseff, sobretudo na região Nordeste.

“Das 18 universidades que criamos, sete ficam no Nordeste. E todas têm campus nas cidades do interior. O Nordeste hoje tem 20% dos alunos universitários do país, ultrapassando pela primeira vez a região Sul. Como vocês sabem, o número de universitários passou de três milhões para mais de oito milhões. E ainda é pouco. Esse país precisa compreender de uma vez que educação não é gasto, é investimento. E universidade não pode ser privilégio”, disse Lula.

Ele criticou a falta de investimento em educação depois do golpe parlamentar que afastou Dilma em 2016. “A primeira universidade do Brasil só veio em 1930 e não foi nem para atender aluno, mas o rei da Bélgica, que exigia um Honoris Causa. Até a metade do século 20, a maioria da população brasileira Ainda era analfabeta. Negar o acesso à educação de qualidade sempre foi um jeito de perpetuar a desigualdade neste País. Foi por isso que investimos tanto em educação durante nosso governo”.

Lula ainda destacou o emprenho do ex-governador Marcelo Déda pela educação em Sergipe.

“O Brasil precisa conhecer o sistema de Lagarto, que associa ensino e as políticas públicas de saúde. O coroamento desse processo é a atuação dos alunos no hospital universitário de Lagarto. Destaco também o impacto da instalação da universidade aqui em Lagarto, que movimenta mais de 100 milhões por ano no comércio local. A ideia de instalar o campus aqui em Lagarto jamais teria saído do papel se não fosse meu valoroso compadre, o ex-governador Marcelo Deda. Marcelo Deda tinha verdadeira inquietação em atender seus compromissos com o povo sergipano”, lembrou o ex-presidente.

 

 

Fonte: Brasil 247