Fale Conosco

O governador Ricardo Coutinho adotou a estratégia mais esperada, recorreu através de seu líder Hervázio Bezerra à Justiça e o desembargador José Aurélio da Cruz concedeu liminar determinando que a LDO seja apreciada no máximo em até 48 horas, ou seja amanhã.

Assim, antecipa-se o debate sobre onde devem ser cortadas despesas para que a Defensoria Pública tenha seu duodécimo resguardado, conforme previsto em Lei.

Em outro artigo recente dei minha opinião e hoje conversando com o relator Raniery Paulino disse-lhe que é inadmissível Ricardo cortar mais de 15 milhões de reais da já combalida Saúde e nem chegar perto dos 50 milhões que quer torrar com publicidade entre os meses de fevereiro e junho, fruto do cálculo de um terço do que o governo gastou em publicidade em três anos, no caso 150 milhões.

Acho justo que os deputados ao apreciarem amanhã a LDO reponham lucidez que faltou ao governo e tirem uns 20 milhões da comunicação e remanejem para onde a coisa tá complicada, no caso a área de Saúde.

Percebam que cortando 20 milhões da Comunicação ainda restará 30 milhões para o governador publicizar em cinco meses os seus feitos e encobrir, ou tentar, remendar seus defeitos.

Matematicamente falando, cinco meses divididos por trinta milhões equivale aí a uma injeção de seis milhões de reais mensais no mercado de propaganda, quase cinco vezes mais do que o ex-governador Zé Maranhão dispôs em 2010, algo em torno de sete milhões de reais.

Ou seja: o que Ricardo vai gastar em um mês, Maranhão gastou em um semestre inteiro, o que percentualmente equivale a menos de um milhão por mês.