Fale Conosco

EXCLUSIVO – O superintendente do SEBRAE e petista ligado a corrente aliada do governador Ricardo Coutinho, Júlio Rafael, me contou sem reservas e diante de duas testemunhas que o prefeito de João Pessoa Luciano Agra foi quem financiou a compra dos delegados que garantiram a aprovação da tese de candidatura própria na Capital.

Mais que isso, Júlio disse que o pré-candidato do PT indicou 30% dos cargos na área de Saúde em João Pessoa.

“Agra mandou Lucius Fabiani coordenar a operação, pois queria afastar o PT de Estelizabel e forçar a sua volta na estratégia que ficou conhecida como volta Agra”, disse.

Segundo o raciocínio de Júlio, Luciano Cartaxo é o candidato da dissidência do Coletivo Ricardo Coutinho e a máquina da PMJP deverá operar em seu favor daqui pra frente.

Vou mais além e digo que Cartaxo, em João Pessoa, e Daniella Ribeiro, em Campina, por enquanto estão sendo assumidos como opção de um ala do ricardismo, mais que a medida que os candidatos oficiais não decolem, serão assumidos como opção e voto útil.

Se em João Pessoa Estelizabel ou Nonato não passarem para o segundo turno, logo Luciano Cartaxo deixará de ser o candidato de uma ala do Coletivo RC para ser o candidato da preferência do governador Ricardo.

Em Campina, idem. Se Romero não vingar, as fichas serão apostadas em Daniella e aí a tese que tvnho repetindo faz tempo será cenário real.

Daniella é a candidata de RC. E Cartaxo também, de certa forma.