Fale Conosco

Se essa onda de juiz abaixar as calças em plena audiência para quem quiser conhecer suas roupas de baixo ou até suas partes íntimas pegar, vai ter réu processando os meritíssimos por atentado violento ao pudor, assédio ou…se apaixonando.

O caso aconteceu em Campina, envolveu o juiz Bartolomeu Correia Lima Filho e foi presenciado por quem estava na sala, dentre elas a promotora Elaine Cristina.

Antes que algum saidinho ache que foi um ataque de hipermetrosexualismo ou exibicionismo voyeur, explico que o meritíssimo estava mostrando marcas de uma acidente de moto e, estabanadamente, desabotoou o cinto e arreou as calças, mas não tirou a toga.

Logo alguém notou que o homem estava armado, mas a arma estava sem munição. É que ele também resolveu exibir seu potente revolver aos presentes e, para evitar apavoramento, botou a munição pra fora e todos viram, na Vara, nervosos, que o juiz não tinha mesmo bala na agulha.

Pelo sim, pelo não, ouvi dizer que em Campina maridos de advogadas, promotoras e réus do sexo feminino, estão exigindo a imediata troca de Vara, ou deixarão que os processos corram à revelia.

Veja abaixo a petição que a promotora Elaine Cristina mandou ao procurador geral de Justiça, Berytrand Asfora, exigindo providências para a conduta inadequada do juiz, que é presidente da Segunda Turma Recursal da Comarca de Campina Grande.

EM TEMPO: fiz esse artigo a partir de informações publicadas no Blog de Simone Duarte e de Tião Lucena.