Fale Conosco

O governador João Azevêdo (Cidadania) disse concordar com a decisão do Supremo Tribunal Federal que abriu precedentes para a punição de pessoas que se recusarem a tomar a vacina contra a covid-19. “Temos que incentivar a vacinação para o maior número de pessoas possível, só assim controlaremos a transmissão, reduzindo o número de casos e de óbitos”, disse.

O gestor ainda garantiu que ele e seus familiares irão tomar a vacina assim que possível. “Estarei esperando a minha vez, pelo cronograma divulgado pelo Ministério da Saúde e orientarei para que toda minha família se vacine também, aguardando as fases definidas no PNI. Vacinar é salvar vidas. Não cabe outro discurso”.

O ministro relator Ricardo Lewaandowski disse em seu voto que, é “flagrantemente inconstitucional” a vacinação forçada das pessoas, ou seja, sem o seu expresso consentimento, mas argumentou que “a saúde coletiva não pode ser prejudicada por pessoas que deliberadamente se recusam a ser vacinadas”.