Fale Conosco

O governador João Azevêdo descartou uma aliança com o PSB para as eleições deste ano. Azevêdo lembrou que não se aliar ao PSB foi, inclusive, uma das condições para o apoio a pré-candidaturas na Paraíba para as Eleições 2020. “Acho que o senador precisa se ocupar mais. Acho que ele precisa, primeiro, vir mais à Paraíba e entender o que está acontecendo aqui nesse processo. Isso não existe de forma nenhuma. Todo mundo sabe que eu saí do PSB desde o ano passado. Não tenho nenhuma vinculação, nem relação e não tenho sequer nenhuma aliança com o PSB no estado da Paraíba”, disse o gestor estadual.

João Azevêdo disse que saiu do partido praticamente expulso por falta de reconhecimento da direção nacional. “Até porque seria uma incoerência da minha parte ter saído do partido como eu saí, praticamente expulso, pela falta de reconhecimento da direção nacional, e ter aqui nesse momento das eleições uma relação de aliança. Nós não temos aliança com o PSB em canto nenhum. Demonstramos isso claramente.”

Por fim, o governador rebateu a tese do ex-senador Cássio Cunha Lima de que o governador está unido a Ricardo Coutinho, de forma confidencial, mesmo após a rompimento público entre os dois. Ontem (27) em entrevista à TV Arapuan, repercutida nesta sexta-feira (28), na Arapuan FM, João disse que Cássio precisa “se ocupar mais” e “vir mais à Paraíba e entender o que está acontecendo”.

Cássio havia declarado, em entrevista à TV Itararé, de Campina Grande, que Ricardo e João estavam unidos ainda e articulando apoio nas Eleições 2020. Além do governador rebater a hipótese, o presidente do Cidadania em João Pessoa, vereador Bruno Farias, também defendeu o gestor, dizendo que os adversários estavam com dor de cotovelo, sentimentos mesquinhos e desesperados.