Fale Conosco

A Integração Metropolitana, que recebe ônibus dos municípios de Bayeux, Cabedelo, Conde, Jacumã e Santa Rita será suspensa temporariamente a partir dessa quarta-feira (19). O motivo, segundo o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros no Município de João Pessoa (Sintur-JP), é a crise econômico-financeira que atinge as empresas, que traz dificuldades ao equilíbrio do sistema de transporte público em João Pessoa e na região metropolitana.

A integração pode ser feita através do uso do passe legal. Com a suspensão, a ação não poderá ser executada entre ônibus de João Pessoa e as cidades da região metropolitana.

Nessa segunda-feira (17), o Sintur-JP comunicou a respeito de sua decisão ao Departamento de Estradas de Rodagem da Paraíba (DER-PB) e também à Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob-JP). Um diálogo com o poder público deve ser realizado para buscar soluções para o setor que, conforme o sindicato, está há 16 meses com a tarifa defasada, comprometendo a situação das empresas concessionárias.

“Comunicamos ao DER/PB sobre essa medida, que é temporária, para que possamos aprofundar estudos no sentido de retomar as integrações metropolitanas, uma vez que elas não possuem uma fonte de custeio própria, o que penaliza o passageiro pagante, pois aumenta o custo da tarifa aqui em João Pessoa”, esclareceu Isaac Júnior Moreira, Diretor Institucional do Sintur-JP.

A Semob-JP divulgou nota esclarecendo a situação, após receber ofício do Consórcio Metropolitano sobre suspensão da Integração Metropolitana. Leia abaixo:

Diante da situação, a Semob-JP esclarece:

1° – Considerando que se trata de transporte intermunicipal, envolvendo cidades da Região Metropolitana, a competência para regulamentação de tal tarifa é do Departamento de Estradas e Rodagem (DER-PB);

2° – A Integração Metropolitana é um acordo entre as empresas de transporte público e o Departamento de Estradas e Rodagem (DER-PB);

3° – O sistema de integração temporal urbana de João Pessoa permanecerá inalterado, sem que ocorra ônus aos passageiros da Capital, permanecendo a gratuidade no segundo embarque.

Por fim, este órgão de mobilidade ressalta que se mantém disponível para diálogo, prezando prioritariamente, pela segurança e bem estar dos usuários do transporte público de João Pessoa.