Fale Conosco

 

Após o encontro de representantes das polícias Civil e Militar com o Governo do Estado, que entrou pela noite de ontem (24), o movimento de greve tomou força. O os secretários de Ricardo Coutinho não apresentaram qualquer proposta convincente, deixando claro que haviam concordado em participar da reunião para evitar a pressão da imprensa e a paralisação dos policiais.

A manobra foi clara: Formar uma comissão entre o poder público e representante das polícias para que pudessem estudar e apresentar propostas em 30 dias, enquanto isso, tudo fica como está.

Depois de tentar exaustivamente uma solução, Major Fábio, que organiza o movimento de greve, programou assembléia da categoria para a próxima segunda-feira, na mesma praça onde acontecem as manifestações.

O resultado não agradou muito a linha de frente do governador presente a reunião, eles agora terão que amargar uma greve em plena festividade de carnaval, comprometendo a segurança dos foliões.