Notícias

Inadimplência de consumidores registra alta de 68,58% em JP

O atraso de pagamento de consumidores nas lojas do comércio de João Pessoa apresentou pelo segundo mês consecutivo forte alta. O número de devedores na capital registrou alta de 68,58% em outubro deste ano na comparação ao mesmo período do ano passado (subindo de 2.381 consumidores inadimplentes para 4.014). Os dados são do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) da capital paraibana. Em números absolutos, foram incrementados 1.633 nomes na lista de calotes no comércio. Em setembro, o índice de inclusão no SPC havia saltado 114%.

Os números surpreendem, até porque as vendas no comércio este ano estão mais tímidas comparadas a 2013. No acumulado do ano, a alta da inadimplência foi menos expressiva, chegou a 5,14%, sendo 24.473 pessoas sem crédito em 2013 e 25.732 este ano.

O presidente da Federação das Associações Comerciais da Paraíba, Alexandre Moura, afirmou que um dos motivos para este quadro na capital paraibana é a inflação. “Ela corrói o salário dos paraibanos, principalmente os menores. Então se aumenta a feira, a energia, o gás de cozinha, vai chegar um momento em que o trabalhador vai pagar o que é prioridade”, afirmou.

O diretor do SPC de João Pessoa, Lindenbergh Vieira, lembrou que o principal vilão dos consumidores são o parcelamento a longo prazo. “Parcelas em 10 ou 12 vezes descontrola as finanças porque chega uma hora que surge um imprevisto e a pessoa vai ficar devendo. Sem falar que os juros por atraso do cheque especial e cartão de crédito ficam entre 17% e 21% ao mês, o que é impraticável”, afirmou.

Ele lembrou ainda que o empréstimo do nome a terceiros ainda impulsiona a inadimplência no comércio. “Emprestar o cartão de crédito a terceiro representa 20% do total dos devedores”, frisou.

REABILITAÇÃO 
A quantidade de consumidores que tiraram o nome do SPC aumentou 60,19% em outubro deste ano na capital paraibana.

Foram 1.683 pessoas em 2013 e 2.696 este ano. De janeiro a outubro, o número de exclusões no SPC caiu 2,06%, considerando que 16.562 pessoas recuperaram o crédito em 2013 e este ano foram 16.220.

ATRASO DE PAGAMENTO TEM QUEDA DE 7% EM CG 
Ao contrário da capital paraibana, Campina Grande teve queda de 7% na inadimplência no mês de outubro, somando 1.466 consumidores em débito no comércio este ano contra os 1.570 devedores no mesmo período do ano passado. Para o presidente da Federação das Associações Comerciais da Paraíba, Alexandre Moura, a oferta de empregos maior na região da Borborema pode ter tido influência no saldo positivo de empregos.

No acumulado do ano a lista de calotes no comércio subiu 9,6% na cidade. Foram 13.648 no ano passado contra 12.337 este ano.

Já o número de consumidores que limparam o nome sujo na praça em Campina Grande teve alta de 26% em outubro, saindo dos 688 em 2013 para os 864 no mês passado. No acumulado do ano, o aumento foi de 1,21%, registrando 7.239 exclusões no ano passado contra 7.151 este ano. Na Paraíba, a renda dos novos empregos gerados no Estado estão entre as menores do país segundo o Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged).

No mês de setembro, o aumento das pessoas endividadas foi de 7% em Campina Grande. Foram 1.100 pessoas em 2013 e 1.181 no mês passado. O percentual de pessoas que saíram da lista de devedores também foi pequeno, de 4%, sendo 735 nomes excluídos este ano contra os 709 de 2013. Nos nove meses do ano houve queda de 10% na inadimplência na cidade.

JP