Fale Conosco

Entre as ações voltadas para a melhoria na qualidade de vida dos idosos residentes na Capital paraibana que tramitaram na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), este ano, esteve uma Indicação ao Executivo Municipal sugerindo a criação do Programa de Fisioterapia para Idosos (fisioterapia geriátrica) em toda rede pública municipal. Os vereadores Eduardo Carneiro (PRTB), Raíssa Lacerda (PSD) e Helena Holanda (PP) também apresentaram iniciativas voltadas aos idosos que também tiveram destaque.

O documento encaminhado ao prefeito Luciano Cartaxo (PSD) preconiza que as sessões fisioterápicas serão coordenadas sempre por um fisioterapeuta e a regulamentação e execução do Programa ficará sob responsabilidade do Executivo Municipal. O parlamentar destaca que as despesas decorrentes da execução da nova norma correrão por conta de dotações orçamentárias próprias, suplementadas, se necessário.

De acordo com o propositor da sugestão, vereador Helton Renê (PCdoB), o Programa de Fisioterapia para Idosos será oferecido como forma de prevenção e recuperação das mudanças fisiológicas e biomecânicas ocorridas pelo processo de envelhecimento. “Em decorrência do aumento da expectativa de vida e o consequente aumento da população idosa no Brasil, ocorre a necessidade de mais atenção com tratamentos e cuidados da saúde desta população”, defende o parlamentar.

O vereador também esclarece que a Fisioterapia Geriátrica tem como objetivo a promoção, manutenção, prevenção e recuperação das mudanças fisiológicas e biomecânicas que ocorrem naturalmente por ocasião do processo de envelhecimento, a exemplo da diminuição da massa muscular e da densidade óssea, a perda da força muscular, da agilidade, da coordenação motora, do equilíbrio e da mobilidade articular, dentre outros processos.

De acordo com Helton Renê, muitos estudos comprovam que a prática de exercícios físicos para idosos, quando são devidamente planejados e dirigidos por profissionais habilitados, diminui consideravelmente os fatores de risco de todas as causas de morte e morbidade, em especial, para certas doenças como, por exemplo, o infarto e o Acidente Vascular Cerebral (AVC).

“Já é pacífico que os exercícios evitam ou, pelo menos, diminuem o envelhecimento precoce. E o fisioterapeuta, que é um profissional responsável pelo diagnóstico, prevenção, recuperação e tratamento das disfunções do organismo humano, causadas por má formação genética, acidentes ou posturas incorretas no dia a dia, precisa está presente para conduzir as sessões fisioterapêuticas”, enfatiza o parlamentar.

Outras ações da CMJP voltadas aos idosos

Dentre as iniciativas voltadas aos idosos discutidas no Parlamento Municipal da Capital, este ano, também tiveram destaque as iniciativas dos vereadores Eduardo Carneiro (PRTB), Raíssa Lacerda (PSD) e Helena Holanda (PP).

O vereador Eduardo Carneiro apresentou as seguintes matérias: uma que estabelece a prioridade no atendimento médico para os idosos da Capital; outra que estabelece a possibilidade do agendamento por meio telefônico de consultas para pacientes Idosos e para pessoas com deficiências já cadastradas nas Unidades de Saúde do Município de João Pessoa; mais uma

que dispõe sobre a vacinação domiciliar de idosos com dificuldade de locomoção; e uma Indicação ao Executivo Municipal para criação do Condomínio Residencial para Idosos, “nos moldes do Programa Cidade Madura do Governo do Estado da Paraíba.

A vereadora Raíssa Lacerda conseguiu aprovar em Plenário, o PL que dispõe sobre a dispensa de parada de ônibus urbanos nos pontos de embarque e desembarque para passageiros idosos, gestantes portadores de necessidades especiais.

A Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) realizou uma sessão especial, no dia 8 de junho, para comemorar o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, celebrado em 15 de junho. O evento foi proposto e presidido pela vereadora Helena Holanda e secretariado por Damásio Franca, ambos do PP.

Durante as intervenções, pediu-se que o Governo Municipal ajude as instituições de longa permanência da cidade. Também foi abordada a necessidade de uma revisão e adequação do Estatuto do Idoso, que é de 2003; que haja mais atenção à melhor idade em filas e atendimento bancários; além do respeito a esse segmento nos ônibus, na mobilidade urbana e no atendimento à saúde.

 

Fonte: Assessoria CMJP