Fale Conosco

A economia brasileira deve ter uma injeção de mais de R$ 50 bilhões nos próximos meses. A pedido do Palácio do Planalto, o Ministério da Economia acelerou o passo para anunciar medidas para aquecer o consumo a curto prazo, dada a lenta recuperação da atividade econômica.

Duas medidas em particular são os carros-chefe do Ministério da Economia: a antecipação do 13º de aposentados e pensionistas e a liberação do saque do FGTS.

Nesta segunda-feira (5/8), a pasta anunciou a antecipação da primeira parcela do 13º para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que será liberada entre o fim de agosto e o início de setembro, com o benefício mensal. Quase 30 milhões de segurados serão pagos, o que representa um impacto de R$ 21,9 bilhões de forma imediata.

Fora isso, os brasileiros também já se preparam para receber R$ 30 bilhões ao longo dos próximos quatro meses, após a flexibilização de saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), do Programa de Integração Social (PIS) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). Dessas medidas, o maior impacto será com os resgates das contas ativas e inativas do FGTS, que poderá ser sacado a partir de 13 de setembro. No caso do PIS-Pasep, o trabalhador poderá retirar as quantias ainda este mês, no dia 19.

Da redação com Correio Braziliense