Fale Conosco

Quem imaginou que o Governo Ricardo Coutinho parou de adquirir quantidades incomuns de farinha láctea (e leite em pó), após o escândalo da Gastança da Granja, se enganou. Levantamento realizado pelo Blog, junto ao Sagres, constatou que, entre dezembro de 2011 e agosto de 2012, o Governo comprou duas mil latas de farinha láctea e 860 quilos de leite em pó, equivalente a 2.150 pacotes (em apenas seis notas fiscais, mostradas abaixo).

Uma conta que chega a R$ 15.987,50 apenas para abastecer as despensas da Granja Santana. Como um pacote de 400 gramas de leite em pó rende três litros de leite, foi o equivalente a 6,5 mil litros. E, até onde pode se apurar, o Governo só deixar de adquirir quantidades anormais dos dois produtos, depois que auditores do TCE perceberam uma movimentação incomum de compras.

O detalhe é que as compras foram todas realizadas junto a uma mesma empresa: Dantas e Lacerda Comércio de Alimentos LTDA, que fica à Rua Pedro Álvares Cabral, 41, em Campina Grande (PB). E todas as compras foram realizadas pela Casa Civil do Governo.

Escândalo na Isto É – Em janeiro de 2013, a revisto Isto É trouxe extensa reportagem sobre o escândalo da Gastança da Granja, em que dizia: “Um relatório do Tribunal de Contas, obtido por ISTOÉ, revela que as festas promovidas na Granja Santana – como é chamada a residência onde moram o governador e a primeira-dama – consumiram 17,4 toneladas de carnes, peixes e frutos do mar, só no ano de 2011.”

Dizia ainda: “Na mesma prestação de contas, que o órgão de fiscalização classificou como um dos inúmeros “exageros de gastos”, havia uma nota registrando a compra de 60 quilos de lagosta. Além das despesas com comida, os auditores descobriram que até o enxoval do bebê de Pâmela e Coutinho foi pago pelo contribuinte.”

E mais: “O governador não mexeu no próprio bolso nem mesmo para comprar os móveis para o quarto do filho ou as bolsas para carregar mamadeiras. A quantidade de farinha láctea adquirida para a criança também espantou o tribunal: foram 460 latas apenas entre os dias 21 de novembro e 13 de dezembro de 2011.” Mais em http://migre.me/cMg2N

Ação de improbidade – No início deste mês (setembro/2014), os promotores Alexandro de Lacerda Siqueira e Ricardo Alex Almeida Lins ajuizaram ação civil pública contra o ex-secretário Lúcio Flávio Vasconcelos (Casa Civil) e a primeira-dama, Pâmela Bório. Os dois foram acionados por atos de improbidade administrativa, por conta da Gastança da Granja.

Pâmela e Lúcio constam do inquérito civil nº 276/2013, que apurou a denúncia de gastos abusivos com o dinheiro público para o abastecimento da Granja Santana. Dentre as despesas constam a compra de 17 toneladas de lagosta, camarão, carne de primeira e peixes raros, alguns em extinção, o que dava um consumo de pelo menos 50 Kg de carne e peixe por dia.

Farinha01 Farinha02 Farinha03 Farinha04 Farinha05 Farinha06

Blog HM