Fale Conosco

Os pacientes oncológicos da Paraíba terão dia decisivo na próxima semana: na quarta-feira, dia 4, o governador João Azevedo baterá o martelo em reunião com o secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros, sobre pedido de convênio feito hoje pela direção da Fundação Napoleão Laureano.


A solicitação foi entregue esta manhã a Medeiros, que visitou o Hospital Napoleão Laureano e manteve reunião de mais de duas hora com o presidente da Fundação, Antonio Carneiro Arnaud, e diretores da instituição.


“Estou aqui por recomendação do governador, que se mostra sensível aos problemas enfrentados pelo Hospital Napoleão Laureano que – todos na Paraíba sabem – é de suma importância no contexto da oncologia, absorvendo mais de 70 por cento dos pacientes com câncer do Estado”, reconheceu Geraldo Medeiros.


O convênio solicitado pela direção da Fundação Napoleão Laureano prevê repasses mensais de R$ 400 mil mensais para ajudar na compra de medicamentos – uma demanda que vem crescendo e provocando deficit financeiro na instituição, que gasta mais de R$ 1 milhão mês com remédios quimioterápicos.
O secretário Geraldo Medeiros foi informado que mais de 94 por cento dos pacientes do hospital são atendidos via Sistema Único de Saúde.
“A tabela do SUS, porém, não é reajustada há dez anos – só pra se ter ideia, o SUS paga R$ 5,70 por uma radiografia de torax”, revelou Carneiro Arnaud.


“Os repasses do SUS não conseguem absorver a demanda, que vem crescendo ano a ano”, explicou o presidente da Fundação, informando que, por ano, o Napoleão Laureano realiza mais de um milhão de procedimentos.
“Pela legislação que disciplina os hospitais filantrópicos, só precisariamos atender até 60 por cento de pacientes do SUS, mas o que vamos fazer com o restante? Os paraibanos que recebem hoje diagnóstico de câncer não têm outra porta para bater além do Laureano”, declarou Carneiro Arnaud.


Na visita, Medeiros foi informado ainda que cerca de 500 paraibanos com diagnóstico de câncer aguardam para receber atendimento no Estado.


“Este convênio será decisivo para garantir a compra dos medicamentos e ampliar nossa capacidade de atendimento”, revelou Carneiro Arnaud, informando que o Napoleão Laureano atende quase duas mil pessoas por semana.