Fale Conosco

Gilmar Mendes, ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), fez duras críticas ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em conversa com jornalistas neste terça-feira, em Brasília. Mendes disse que a mudança ma cúpula da PGR (Procuradoria-Geral da República) pode trazer “decência e normalidade” à instituição, que, segundo Mendes, ficou “a reboque das loucuras de Janot”. O procurador deixa o cargo no dia 17 de setembro, as informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Mendes disse que é preciso voltar ao mínimo de “decência e sobriedade”. O ministro afirmou também que, nas mãos de Janot, o direito penal brasileiro foi “todo reescrito e agora precisa ser arrumado”. 

Gilmar Mendes falou que cabe ao STF “arrumar tudo”, uma vez que o tribunal “foi muito concessivo e contribuiu para essa bagunça completa”.

“As delações todas, as homologações sem discussão, o referendo de cláusulas [dos acordos]. Uma bagunça completa. E ficou a reboque das loucuras do procurador”, disse.

Mendes voltou a criticar o pedido de prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG) feito pela PGR.  O ministro do STF disse também que Janot deveria ter lido a Constituição. E afirmou ainda que ele criou a “doutrina Janot”.