Fale Conosco

O deputado federal Gervásio Maia, presidente estadual do PSB, admitiu, em entrevista concedida nesta quinta-feira (28), distanciamento e falta de interação com Ricardo Coutinho (PSB).

“Eu não tive a oportunidade de construir 2020 ao lado de Ricardo Coutinho. A última vez que falei com Ricardo foi na véspera da convenção de João Pessoa, tomei conhecimento na candidatura dele [Ricardo] pelas redes sociais e depois pelos blogs. Não tivemos contato. Há um distanciamento e uma falta de interação. A decisão sobre o projeto de João Pessoa foi tomada sem minha participação. Eu não tive a oportunidade de dar minha opinião e o resultado todos sabem”, disse o parlamentar.

Questionado sobre o cenário político para 2022, Gervásio foi enfático ao dizer que estará aberto ao diálogo com diversos projetos políticos, menos com aquele que for apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, ao se referir ao ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), cuja intenção já foi sondada para a disputa ao governo. 

O parlamentar criticou falta de diálogo interno no PSB e tratou como “ambiente ruim”.

“Logo quando tomei a decisão em 2019, de ficar ao lado de Ricardo, em uma das reuniões eu disse que teríamos um grande desafio, mas se tivéssemos unidade iríamos vencer. A unidade não está acontecendo”, pontuou.

Apesar das divergências, Gervásio explicou que ainda não pensou sobre o futuro.

“Uma das coisas que aprendi na vida e na política é que ninguém é dono da verdade e na política não podemos decidir sozinho. Eu tô querendo dizer isso porque não concordo com grupo que isola parte do grupo, que toma decisão isolada. Eu não tenho como te responder [sobre deixar o PSB], não sei dizer nada sobre o futuro. Mas tem uma coisa pra te dizer, não dou um passo sem conversar nossa base política. Eu construo a política com pessoas”, ponderou.

Ao ser perguntado sobre uma possível relação com o governo João Azevêdo (Cidadania), o deputado afirmou que não vê dificuldades de construir projetos e propostas para Paraíba “com ninguém”.