Fale Conosco

Na tarde deste domingo (24), homem morreu após ter o carro modelo Classic atingido por um veículo de luxo no bairro de Manaíra, em João Pessoa. O condutor do automóvel BMW fugia de uma perseguição policial na região quando colidiu no outro carro. A vítima fatal deste acidente era o baterista da banda Tuaregs, Dainha Batera. 

O grupo paraibano Tuaregs lamentou a morte de Dainha nas redes sociais. Dainha Batera era baterista e professor. Estava anunciando nas suas redes sociais a formação de uma turma para curso de férias on-line para o ensino sobre bateria.

O sobrevivente, que causou o acidente, foi preso pelos policiais militares da Companhia Especializada de Apoio ao Turista (Ceatur). Populares se revoltaram no local e xingaram o homem enquanto ele era conduzido até a viatura da PM. “Tirou a vida de um pai de família. Merece morrer.”

Segundo a Polícia Militar, Antônio Carlos, homem detido acusado de provocar o acidente que vitimou Dainha já foi preso na cidade do Rio Branco, capital do Acre, pelo crime de estelionato. Ele foi acusado, em 2016, de usar cartões clonados junto com a companheira. Antônio Carlos Gomes de Oliveira, de 35 anos, havia sido preso aos 31 com Josiane Pereira de Farias, de 30 anos, em um apartamento em Rio Branco, em 9 de novembro de 2016. A informação foi confirmada ao portal ClickPB pelo major Bruno, comandante da Companhia Especializada de Apoio ao Turista (Ceatur) da Polícia Militar da Paraíba.

Antônio Carlos é do Paraná, morava em Rio Branco e já tinha passagem por uso de cartões clonados no Tocantins, segundo informou o delegado Roberth Alencar ao G1 Acre, em 2016. O delegado relatou, na época, que muitas quadrilhas de outros estados estavam executando o crime no Acre. Antônio Carlos foi preso, na época, enquanto fazia compras pela internet com cartões clonados.