Fale Conosco

Como um cão adestrado, o deputado federal e pré-candidato à prefeitura de Campina Grande Romero Rodrigues (PSDB) bem que tentou fazer a vontade do Rei Ricardo Coutinho, mas acabou tendo o plano de antecipar o integral apoio do PSB na Rainha da Borborema abortado pelas velhas raposas tucanas (leia-se Cícero Lucena e Ruy Carneiro).

Nos bastidores da política, Romero Rodrigues e Ruy Carneiro tinha um acordo para ceder a vaga na Câmara dos Deputados para o primeiro suplente Major Fábio, do DEM.

O acordo colocava o deputado Ruy Carneiro como o primeiro no rodízio para ceder a vaga para o suplente. Já estava tudo certo, até que Romero também anunciou que iria tirar licença para se dedicar à campanha eleitoral.

O fato é que, com a saída simultânea dos tucanos Ruy e Romero da titularidade, o maior beneficiado iria ser justamente o principal algoz de Cícero Lucena, ou seja, o governador Ricardo Coutinho. Tudo porque seria a primeira vez nessa legislatura que o socialista iria conseguir ter um aliado do partido ocupando uma cadeira no Congresso Nacional. O beneficiado em questão seria nada mais nada menos que o ‘testa de ferro’ Edvaldo Rosas, segundo suplente da coligação PSB/DEM/PSDB.

Com a articulação, Romero sairia como o ‘salvador da pátria’ e matando dois coelhos com uma cajadada só, ou seja, ganharia o apoio integral do PSB na Rainha da Borborema independente da indicação da vice e daria a Ricardo Coutinho o presente de ter um súdito no Congresso Nacional.

O fato é que Romero esqueceu que Cícero Lucena também é esperto e jamais facilitaria as conquistas do PSB. Cícero então proibiu Ruy Carneiro de se licenciar e como quem não quer nada acabou dando uma tapa de luva na cara de Romero Rodrigues para ele aprender quem é que tem as rédeas do PSDB.

No meio desse moído todo, Cássio Cunha Lima continua se fazendo de cego, surdo e mudo e não abre a boca para dizer um ‘ai’.            

Mas uma coisa é certa, Cícero frustrou os planos de Ricardo Coutinho, pelo menos dessa vez.