Fale Conosco

O Secretário de Educação de Campina Grande, professor Flávio Romero Guimarães, apresentou nesta terça-feira (27) os detalhes da lisura com a qual são feitos os processos de aquisição de livros na Prefeitura de Campina Grande. Segundo ele, incluir Campina na denúncia contra o Estado e a Prefeitura de João Pessoa é forçar a barra para encobrir o principal. “Querem tirar o foco da denúncia do Estado e da Prefeitura de João Pessoa com a tentativa de incluir Campina e jogar tudo na vala comum”, disse. 

Flávio lembrou que todos os processos de aquisição de livros em Campina ocorrem seguindo os critérios estabelecidos por lei. “Nós temos uma Comissão de Licitação, vinculada à Secretaria de Administração, que faz tudo de forma transparente e acompanhando o que determinam os órgãos de controle. A inexigibilidade é adotada por exemplo para editoras que tem produtos exclusivos”, afirmou. 

Ele lembrou que o objetivo de querer incluir Campina na denúncia é visto de forma muito clara. “Querem tirar o foco de uma questão maior e se tentar criar um factóide político, citando um parentesco. Dizer que o fato de ele (empresário Daniel Dantas) é meu primo não demonstra nenhum beneficiamento dele em Campina”, afirma. 

Comparação – Flávio mostrou que todos os processos de aquisição de livros da Prefeitura de Campina Grande, nos sete anos da atual administração, somados, não chegam ao valor da licitação que está sendo questionada em João Pessoa, de cerca de R$ 2 milhões. “Os valores das aquisições de livros na gestão Veneziano, em sete anos, são inferiores a este caso de João Pessoa, só para ser ter uma idéia”. 

O Secretário lembrou ainda que a PMCG não paga a empresários “por conveniência individual”. “Não é Campina que tem conta do Fundeb em outra cidade. Ao invés de se tentar explicar o fato gerador, se tira o foco para Campina, que faz seus procedimentos de forma aberta, transparente e em consonância com os órgãos de controle”. 

“Até oposição reconhece” – Flávio lembrou que, na atual gestão, a Educação melhorou substancialmente, citando as reformas e construções de mais de 100 escolas municipais, a adoção do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Magistério e melhorias na qualidade do ensino. Essas ações motivaram a Câmara Municipal a aprovar recentemente, por unanimidade, a concessão da maior honraria que o Legislativo campinense pode outorgar a um cidadão, que é e Medalha Argemiro de Figueiredo. 

“A Câmara, por unanimidade, até com os votos da oposição, aprovou concessão da sua maior honraria, em reconhecimento a nosso trabalho. Não se pode desrespeitar a história de um cidadão, como estão querendo fazer. Se vemos na imprensa, dito por todos, que Veneziano é integro, digo que também sou e minha história de professor e de dedicação à Educação mostra isso”, afirmou o Secretário. 

Demanda Judicial – Flávio finalizou dizendo que vai responsabilizar, judicialmente, os autores da denúncia. “Essa história tentou manchar a minha imagem e atingiu a minha família. Tomarei os procedimentos legais, como cidadão brasileiro”, disse.