Fale Conosco

Quem viu Ricardo Coutinho conseguir se livrar da tornozeleira eletrônica alegando risco de contrair covid-19, ao ter que ir constantemente à delegacia para consertar o dispositivo eletrônico, hoje dá de cara com cliques do socialista nas ruas, fazendo campanha para uma chapa que foi apontada como “irregular” pela Justiça Eleitoral.

Mesmo com todas as incoerências, o líder da Orcrim Girassol ainda se diz confiante de reverter a decisão que obrigou o petista Antônio Barbosa a sair da chapa PSB X PT.

“É uma decisão que a Justiça em primeira instância deu, mas que na esfera nacional e em outras esferas da Justiça, vai cair”, acredita o ex-governador. ”O que não é justificável é ficar sem essa aliança. Realmente, quem está por trás disso tudo precisa se justificar. Como é que pode? Uma candidatura que representa um campo político, como eu represento, e um partido político deste mesmo campo e uma parte do partido político querer sair deste campo. Não me parece razoável, não me parece lógico”, questiona o socialista, que tem o apoio do PT nacional da luta por apoio político, que não encontra em mais nenhum outro partido.

Foi, inclusive, o PT nacional que apresentou recurso eleitoral para que o diretório municipal da legenda petista apresente as alegações que tornaram a indicação de Antônio irregular. O grupo liderado por Anísio Maia tem três dias para encaminhar os argumentos. Será que é game over ou o grupo de Ricardo ainda tem chance de ganhar essa guerra?