Fale Conosco

A falta de maternidades em municípios paraibanos está causando superlotação na Maternidade Cândida Vargas, em João Pessoa. De acordo reportagem publicada pelo Jornal da Paraíba, nesta quinta-feira (4), mais da metade (54%) das mulheres atendidas na maternidade da capital vêm de outras cidades do estado.

Na Cândida Vargas são atendidas cerca de 660 gestantes, por mês, sendo que dessas só 46% são moradoras de João Pessoa. O diretor do Instituto, Juarez Alves Augusto, afirmou que com carência de maternidades espalhadas pelo estado é inevitável a superlotação na maternidade da capital.

A situação da Cândida Vargas foi informada ao Conselho Regional de Medicina (CRM-PB). O presidente do CRM, João Medeiros, defende que seja instalada uma rede estadual de maternidades para conter o problema. Ele explicou que a transferência de gestantes de uma cidade para outra as coloca em risco, já que o translado pode acarretar em complicações na gestação e no parto.

bg