Fale Conosco

O técnico em manutenção, Durval Macedo Marola, que anunciou ontem em uma rede social que foi exonerado do governo do Estado por que se recusou a participar da Girossoca, evento promovido pelo PSB, que tem o governador Ricardo Coutinho, candidato a reeleição, revelou hoje o ato de exoneração assinado pelo diretor da Codata, Krol Jânio P. Remigio. Em entrevista ao Portal WSCOM, ele revelou como funcionava o esquema para obrigar os prestadores de serviços e cargos comissionados a participarem de atos de campanha.

De acordo com Durval, existem grupos formados por servidores que são escalados para participarem das atividades de campanha do candidato Ricardo Coutinho. Ainda segundo Durval, cada grupo tem um líder e é esse líder que é o encarregado por fiscalizar a presença dos integrantes dos grupos nos eventos.

O técnico revelou também que recebeu um recado do seu grupo, que se não fosse para a Girassoca, ia se complicar.

“Existem grupos e cada grupo tem um líder. No grupo que eu estava mandaram um recado que se eu não fosse iria me complicar. Eu não fui”, declarou.

Durval era lotado na Codata, mas trabalhava no Detran, consertando as impressoras do órgão.

No seu desabafo ontem nas redes sociais, ele disse ainda que trabalhava sem a menor condição, já que única ferramenta que tinha era uma chave.

WSCOM