Fale Conosco

Foi impressionante o desabafo que o músico João Linhares, ex-maestro da Orquestra Sinfônica da Paraíba, postou, esta segunda-feira (dia 22) em seu Facebook, rompendo com o governador Ricardo Coutinho: “Pra mim chega, nele eu não voto nunca mais. O governo de Ricardo é o governo da arrogância e da falta de diálogo.”

Um dos principais apoiadores de Ricardo Coutinho, desde seu primeiro mandato de vereador, João Linhares lamenta ter participado de seu Governo: “Ele entrou e cortou todas as gratificações e obrigou todos a trabalharem dois expedientes. Foi a pior experiência da minha vida, entrei numa roubada e fui desgastado por uma política fria, calculista e sem diálogo.”

Confira o desabafo na íntegra:

Não tenho nada contra os companheiros que apoiam quem quer que seja, não escolho meus amigos pelos partidos a que pertencem, talvez seja ingenuidade minha, mas eu sou assim. Votei em Ricardo Coutinho para vereador, votei para deputado, para prefeito e para governador, mas agora não voto mais nele, mas antes que alguns me atirem pedras, eu lhes digo porque.

Naquele tempo em que Ricardo foi vereador havia na cidade um movimento vivo, de muitos companheiros que faziam a cena cultural acontecer na raça!!! As pessoas tinham opinião, havia um movimento vivo que questionava as políticas, principalmente de cultura, e foi pegando carona nesses movimentos que ele se estabeleceu. Quando o “Mago” foi subindo… de vereador a deputado e depois prefeito, foi dando emprego aos “agitadores culturais” ainda que pagando uma miséria, e assim conseguiu extinguir o que havia de resistência cultural na cidade de João Pessoa.

Todas as transformações que imaginamos, virou apenas uma praça que toca chorinhos e a galera enchendo a cara. Eu mesmo participei do seu governo, fui maestro da OSPB por um ano. O pior de todos, quando ele entrou e cortou todas as gratificações e obrigou todos a trabalharem dois expedientes. Foi a pior experiência da minha vida, entrei numa roubada e fui desgastado por uma política fria, calculista e sem diálogo. E ainda ajudaram a falar mal de mim porque segui estritamente o que mandava a lei. Tanto que ao final o ministério público intercedeu e fez o governo fazer o que era correto, ou seja, a mesma coisa que solicitei e por isso fui demitido.

Hoje tentam passar uma ideia de que ele é o único que pode fazer a Paraíba se desenvolver, porque é honesto e trabalhador. Honesto? e comigo ele foi honesto? e porque decidiu pelo lado errado? será que ele e seu secretário de cultura desconheciam as leis?… Agora o que vemos é uma capinha bem fininha de humildade que se rompe ‘a menor crítica, por mais fundamentada que seja, mesmo em ano de eleição. Uma secretaria de cultura sem orçamento digno, compatível com a riqueza cultural que temos e até hoje não souberam como explorar positivamente.

Fazem uma demagogia danada com o orçamento democrático, e fecham todos os teatros do estado para reforma sem consultar a classe artística, como se o movimento cultural não existisse. Imagina se ele resolve fechar todos os hospitais para reforma? para aonde iriam todos os pacientes? Num hospital é impossível fazer isso porque as consequências são desastrosas e imediatas, porém na cultura o desastre leva tempo para ser percebido e eles não tiveram a capacidade intelectual de imaginar esses estragos… mas a consequência veio depois em forma de aumento da violência.

A cultura ninguém percebe que sumiu, mas a violência todos percebem que aumentou e não sabem porque… mas é assim; quanto menos cultura mais violência. Quanto menos diálogo mais a pressão social aumenta e tende a explodir… Quero a democracia de volta, qualquer candidato que seja, desde que faça o que é correto, e consiga nos tirar dessa trajetória de arrogância e estupidez. O governo de Ricardo é o governo da arrogância e da falta de diálogo, se fosse um reinado talvez fosse mais humilde… Pra mim chega, nele eu não voto nunca mais.”

BHM