Fale Conosco

Restam 443 dias para a bola começar a rolar em Moscou, mas o sonho do hexa começa a (perigosamente) ganhar forma. Nem mesmo o histórico recente – a seleção brasileira fracassou nas últimas três Copas, nas quais chegou como favorita – é capaz de diminuir o entusiasmo do torcedor depois da vitória por 3 a 0 desta quarta-feira, com gols de Philippe Coutinho, Neymar e Marcelo, na gelada noite na zona leste de São Paulo. Com o técnico Tite, o dono da festa no Itaquerão, já são oito vitórias seguidas nas Eliminatórias, 23 gols marcados e apenas dois sofridos, classificação garantida para o Mundial, além da liderança do ranking da Fifa. O 7 x 1 ainda dói, mas com o capitão Neymar na fase mais madura da carreira, um treinador-ídolo, e uma equipe organizada, a empolgação é inevitável. 

O público paulista, tantas vezes apontado como exigente e até amargo em relação à seleção, não foi caloroso como o nordestino ou barulhento como o mineiro, mas demonstrou afeto do aquecimento ao apito final. Neymar, assim como em suas outras passagens por Itaquera, na Copa de 2014 e na Rio-2016, foi celebrado pelos fãs a cada toque na bola. Até mesmo depois que desperdiçou um pênalti duvidoso, teve seu nome gritado em coro. Depois, fez explodir a arena, com uma bela arrancada que terminou nas redes. Só não foi mais ovacionado do que o técnico Tite, ídolo do Corinthians e agora de todo o país. O grito de “Olê Olê Olê, Tite, Tite” tem sido ouvido em todos os estádios por onde a equipe passa e ecoou ainda mais forte na arena alvinegra desde o anúncio da escalação no telão.

Fonte:Veja.com