Fale Conosco

Líderes de esquerda e sindicalistas têm a expectativa de uma greve geral sem precedentes para a próxima sexta (14). Estimam que a adesão vai superar a de 28 de abril de 2017, contra as reformas do governo Temer. A ideia é forçar a abertura de uma negociação com Rodrigo Maia.

A polêmica em torno de Moro deve ser explorada nas manifestações.

Ausentes da última passeata pró-governo, Vem Pra Rua e MBL agora estão juntos no chamado a atos a favor de Moro e da reforma, no dia 30. A crise da Lava Jato estimulou o reagrupamento.

A informação é da coluna Painel desta quinta da Folha de São Paulo.

Da redação