Fale Conosco

O empresário Daniel Gonsalves, responsável pela denúncia que vem movimentando a Paraíba nos últimos dias, onde o governador, Ricardo Coutinho, é acusado de ter recebido dinheiro para o Caixa dois de sua campanha através de um pagamento supostamente irregular de uma compra de livros escolares no valor de R$ 2,3 milhões, reiterou na tarde de hoje as denúncias contra o Executivo estadual, envolvendo o irmão do governador, Coriolando Coutinho, o secretário de Transparência da prefeitura de João Pessoa, Alexandre Urquiza, e o presidente do PSB de João Pessoa, Edvaldo Rosas.

Um detalhe que poderá chocar a todos os paraibanos é que em breve deverão ser divulgadas as imagens da agência do Banco do Brasil, quando Pietro Harley supostamente recebeu o cheque da prefeitura de João Pessoa nos municípios de Taperoá e Santa Luzia.

O problema é quem acompanhava Pietro na agência na hora do saque! Fontes do banco garantem que era um “capa preta” do coletivo.

Três pessoas teriam pedigree para esta operação, sendo eles Alexandre Urquiza, Edvaldo Rosas e o próprio irmão do governador, mas acontece que Urquiza e Rosas eram candidatos, sobrando Coriolando como único capaz de realizar a operação (teoricamente). Somando isso ao fato de Cori ser o tesoureiro da campanha de RC, temos uma lista de suspeitos bem interessante, mas não vamos atrapalhar as investigações da PF.

Antes do natal um membro do Coletivo RC vai ser preso.