Fale Conosco

O empresário Daniel Gonçalves disse com exclusividade ao Fatospb que aceita o desafio de ir à Assembleia Legislativa caso seja convocado para prestar esclarecimentos sobre o “Escândalo dos livros” denunciado pela revista Época, de circulação nacional.

O empresário disse que tem mais a questionar nesse caso do que a esclarecer e fez um desafio: “Será que o prefeito Luciano Agra e o Pietro terão a coragem de participar dessa audiência pública? Eu queria entender como é que a prefeitura da Capital conseguiu abrir uma conta do FUNDEB em uma agência do Banco do Brasil em Santa Luzia e pagar uma verba de mais de R$ 2 milhões a uma pessoa que detinha uma procuração falsificada”, declarou Daniel Gonçalves.

Ele questionou ainda por que é que a prefeitura de João Pessoa não paga o que lhe deve e processa Pietro Harley que usou documentos falsos para retirar o dinheiro. “Gostaria de ir à Assembléia para questionar os deputados, em particular o deputado Hervázio Bezerra, que é o líder do governador que na época era o prefeito da Capital. Ele, sim, deverá saber explicar como é que um empresário vende, entrega a mercadoria e não recebe o dinheiro”, questiona Daniel.

O deputado Aníbal Marcolino (PSL) apresentou requerimento na última quinta-feira (17) convidando o empresário Daniel Gonçalves, Pietro Harley, representantes do Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal, Tribunal de Contas do Estado e do Governo do Estado para prestarem esclarecimentos sobre as denuncias que ganharam repercussão em nível nacional quando foram publicadas na revista Época.

De acordo com declarações feitas ao portal Clickpb, Aníbal disse que antes de instalar uma CPI, a oposição está dando o direito de defesa aos envolvidos na denúncia da Revista Época para prestarem esclarecimentos em uma audiência pública na Assembleia.  “Agora, se não quiserem aprovar o requerimento na próxima quarta-feira (23), nós abriremos uma CPI disse o deputado..

O deputado Hervázio Bezerra (PSDB), líder governo na Assembleia volta a defender que a questão é municipal e que não cabe aos deputados debaterem a questão. Ele disse que vai votar contra o requerimento. “Essa denúncia deve ser discutida na Câmara, parece uma tentativa de aproveitamento político esse requerimento”.

Se eu fosse Daniel aproveitava e contava quem levou essa denúncia que ele fez a Revista Época até Zé Maranhão durante a camapnha e ainda que quis faturar uma graninha.

Lembra Hervázio? Se as árvores que dão sombra aquela granja da Beira Rio falassem o líder do governo tinha muito o que se explicar.

Com Fatospb