Fale Conosco

Dormir pouco e mal é um hábito que pode trazer efeitos imediatos muito ruins no dia a dia, como cansaço, sonolência, dificuldade para assimilar informações, falhas de memória e de raciocínio, por exemplo. No entanto, a lista de consequências da falta de sono vai além disso e pode também prejudicar a saúde em longo prazo, como alertaram o cardiologista Roberto Kalil e o pneumologista Pedro Genta no Bem Estar desta terça-feira (21).

De acordo com o o pneumologista, o sono é um momento de repouso cardiovascular  – se a pessoa dorme menos do que precisa, ela pode expor seu coração a problemas. Ela pode então desenvolver doenças, como como hipertensão arterial ou ainda problemas como infarto e AVC.

Uma das principais causas de sono ruim é a apneia obstrutiva do sono – ela acontece quando há uma obstrução da passagem do ar, o que faz o paciente acordar várias vezes durante a noite. O órgão mais afetado é o coração, como alertou a reportagem da Ana Brito, e por isso, é importante ficar atento – em caso de ronco frequente em qualquer posição, associado à sonolência e cansaço durante o dia, é preciso procurar um médico.

Os médicos alertam, no entanto, que mesmo quem não tem apneia pode ter mais risco cardíaco por causa do sono ruim. Como o corpo não descansa como deveria, a pessoa pode ficar mais estressada e até ganhar peso porque tem um apetite maior, principamente pode alimentos mais calóricos, como doces – isso pode levar à obesidade, que também é um fator de risco para o coração.

Segundo a personal do sono Silmara Bueno, é importante também prestar atenção à postura durante o sono, que pode gerar dores à noite e no dia seguinte, deixando a pessoa cansada e com a sensação de não ter descansado. Acordar com dor no pescoço, ombro, lombar, dor de cabeça e formigamento nas mãos, por exemplo, são alguns sinais de alerta. Por isso, a dica é tentar corrigir alguns erros ao se deitar – segundo a especialista, a melhor postura para dormir é a lateral, mas mesmo assim, é importante tomar alguns cuidados, como usar um travesseiro que deixe a cabeça em um ângulo de 90 graus e colocar outro entre os joelhos.

Globo/BemEstar