Fale Conosco

O prefeito Romero Rodrigues, de Campina Grande, já definiu a empresa responsável pelo São João de Campina edição 2017, será a Aliança Comunicação e Cultura Ltda (PE). Essa é a mesma empresa ganhadora da licitação do ano passado que teve problemas no pagamento de artistas locais e que tem como um dos seus sócios o empresário pernambucano Luiz Otávio Vieira Gomes da Silva investigado por uma parceria firmada com o Instituto Mundial de Desenvolvimento e Cidadania (IMDC), uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), que estabeleceu convênios considerados fraudulentos com o governo federal, Estados e prefeituras.

Luiz Otávio é sócio da agência de publicidade Aliança Comunicação, e chegou a ser detido durante a Operação Esopo, da Polícia Federal. Ele foi um dos idealizadores do Festival Internacional de Teatro de Objeto (Fito). Na oportunidade segundo a investigação, ele repassou os direitos autorais do evento para o IMDC que, por sua vez, conseguiu financiamento do Sesi para realizar o festival e contratou a agência pernambucana como executora do projeto.

O inquérito corre em segredo de Justiça e, por isso, a PF não tem fornecido detalhes da investigação. Luiz Otávio foi detido em caráter temporário para prestar depoimentos e para que fosse cumprido o mandado de busca e apreensão. Em sua residência, foram encontrados R$ 99 mil em espécie. Após ser liberado do Cotel, a assessoria do empresário informou que ele não daria entrevistas.

São João 2016 – No ano passado a empresa Aliança se viu envolvida, no não pagamento de artistas no São João de Campina, o que fez artistas a exemplo, de Genival Lacerda, cobrarem publicamente o pagamento do cachê ao prefeito Romero Rodrigues por apresentação no Maior São João do Mundo.

De novo em 2017 – De acordo com a assessoria da prefeitura, a empresa também ficará responsável por montar as estruturas, vender espaços no Parque do Povo, captar recursos e bancar a grade de programação. Confirmando-se oficialmente como vencedora na etapa final, a Aliança terá de apresentar um planejamento, incluindo programação artística, logística e estrutura para o São João deste ano na cidade e nos distritos. A assessoria da prefeitura ainda afirma que a empresa vai assumir uma série de custos e terá a liberdade de gerar as receitas pra isso e, se for o caso, ter lucro em cima do investimento próprio.

Redação