Fale Conosco

O prefeito Cícero Lucena e o secretário de Saúde, Fábio Rocha, receberam, na manhã desta quinta-feira (18), líderes religiosos das igrejas católica e evangélicas. Na reunião, que aconteceu no Centro Administrativo Municipal (CAM), o grupo tratou de ações que poderão fazer em conjunto para combater a Covid-19.

Na ocasião, o gestor municipal esclareceu ruídos de comunicação entre a Secretaria de Saúde e as instituições. “Foi devidamente esclarecida a fala do secretário, por ter sido uma situação pontual. O mais importante é que isso nos deu a oportunidade de conversar com os setores religiosos, no sentido de compreender a importância de preservar a vida e de que essa é uma obrigação de todos. Agora vamos nos unir mais ainda para enfrentar o problema da covid, mas também para encontrar outras soluções necessárias para a cidade”, declarou.

O próprio secretário de Saúde se pronunciou alegando que a pressão causada pelo contexto levou à fala, que ele classifica como infeliz. “A minha palavra foi mal colocada. A pressão é muito alta, este é um cargo que mexe muito conosco, que somos profissionais de saúde e lidamos com vidas perdidas. Aqui na reunião foi tudo esclarecido, não tenho nada contra as igrejas. Houve uma quebra das regras sanitárias, mas vai ser corrigido e tudo foi esclarecido”, afirmou Fábio.

O presidente da Associação de Pastores Evangélicos da Paraíba (Apep), pastor Fausto Filho, destacou que a reunião foi necessária para o esclarecimento de interpretações equivocadas. “Tivemos a oportunidade de ouvir o secretário e ficamos convencidos de que as intenções são as melhores. São demandas urgentes, vinculadas à morte e ao sofrimento, e isso causa pressão e preocupação. Saímos convencidos de que há interesse real da gestão na preservação de vidas”, avaliou.

A igreja católica esteve representada pelo monsenhor Robson Bezerra, da Catedral de Nossa Senhora das Neves. “É bom e agradável quando nos reunimos como irmãos para esclarecer um assunto tão importante. Este equívoco do secretário viralizou, mas a crítica estava direcionada a um caso isolado de desobediência às normativas. Entendemos e percebemos que ele e o prefeito não estão contra as igrejas, pelo contrário. Saio daqui muito feliz”, declarou.

Ainda estiveram presentes na reunião o secretário de Comunicação, Marcos Vinícius, os vereadores Durval Ferreira, Carlão e Elisa Virgínia, e pastores das igrejas Universal, Batista do Miramar, Sara Nossa Terra, Sal e Luz, Assembleia de Deus, Betel Brasileiro e MIRR.