Fale Conosco

Nesta terça-feira (26), a Paraíba alcançou a marca de quatro mil mortes por Covid-19 em todo o Estado. Apenas em 2021, foram confirmadas 331 óbitos e mais de 19,5 mil novos casos de infecção pelo novo coronavírus na Paraíba. O número de mortos registrados é maior do que as populações de 44 municípios paraibanos.

Julho do ano passado passado foi o mês com mais mortes confirmadas, com 1.168 notificações. Em agosto, o número dobrou. No espaço de 38 dias, as mortes causadas pela Covid-19, passaram de 1.002 para 2.023.

Nas últimas 24 horas, foram 12 novos óbitos. As mortes ocorreram entre os dias 31 de dezembro de 2020 e 26 de janeiro de 2021, sendo duas delas em hospitais privados e as demais em hospitais públicos. Com isso, o estado totaliza 4.003 mortes. O boletim diário também apresenta bons resultados. Em toda a Paraíba, um total de 138.694 pacientes se recuperaram da doença.

Em quase um ano de pandemia, muitos trabalhadores da saúde da linha de frente no combate à Covid-19 também foram vítimas fatais da infecção viral. Em 2020, 22 médicos paraibanos morreram por causa da doença. Já em 2021, em menos de um mês, oito médicos faleceram após serem infectados pelo novo coronavírus, sendo três óbitos apenas no primeiro fim de semana do ano, conforme informou o Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB).

A Paraíba ainda totaliza 186.033 casos confirmados da doença, que estão distribuídos por todos os 223 municípios. Até o momento, 579.411 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

Desde o começo da vacinação contra a Covid-19 no Estado, em 19 de janeiro, 91 novas mortes foram confirmadas. A expectativa é de que esse número diminua gradativamente com o avanço da imunização nos 223 municípios paraibanos.

A prevenção ainda é a melhor forma de combate ao novo coronavírus, conforme reforçou o secretário estadual de saúde, Geraldo Medeiros. O uso de máscaras de proteção, a higienização das mãos com água e sabão e/ou álcool em gel e o distanciamento social são medidas necessárias que devem ser intensificadas para conter o avanço da doença.

G1 Paraíba