Fale Conosco

O Brasil está vivendo o pior momento da pandemia da Covid-19. Gestores de diversas regiões do país endureceram as medidas sanitárias para conter o agravamento de casos do novo coronavírus e assim, evitar o caos no sistema de saúde, tal qual aquele vivenciado pelos brasileiro no primeiro pico da doença, há menos de um ano.

A Paraíba foi um desses Estados. O governador João Azevêdo (Cidadania), em harmonia com diversos paraibanos, implantaram medidas mais rígidas como o toque do recolher, que restringe a circulação de pessoas em João Pessoa e mais 143 municípios do estado, classificados nas bandeiras laranjas ou vermelha.

A decisão de aplicar novas regras restritivas foi tomada após ser observado um aumento constante de casos infecções pelo novo coronavírus e o crescimento no números de óbitos em decorrência da doença.

Os dados da Secretaria de Saúde do Estado apontam que, em menos de dois meses do ano de 2021, foram registrados 747 óbitos de paraibanos por causa da pandemia e 49.043 novos casos confirmados.

Os boletins epidemiológicos divulgados diariamente pelo governo confirmam a curva crescente de casos.

No dia 31 de dezembro, último dia de 2020, a Paraíba contabilizava 166.484 casos e 3.672 mortes. Quinze dias depois, em 15 de janeiro, os números foram elevados para 175.997 contaminações e 3.869 óbitos.

No último dia de janeiro, 31, o Estado contava com 191.584 infecções registradas e 4.056 vítimas fatais da Covid-19. Já em 15 de fevereiro, o número de contaminados chegou a 205.579 e o de mortos a 4.255.

O último boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde na quarta-feira (24), mostra que o número de casos confirmados chegou a 215.527, com 4.419 mortes.