Fale Conosco

Consolidado candidato ao Governo da Paraíba pelo MDB, o senador Maranhão animou a militância, durante convenção, neste domingo (05), ao apontar a fraqueza dos adversários, que em 2014 foram derrotados estando unidos e que agora, em 2018, serão derrotados novamente.

O senador destacou o fato de concorrer contra duas máquinas públicas: o Governo do Estado, que tem João Azevêdo como candidato, e as Prefeituras de João Pessoa e Campina Grande, que apoiam Lucélio Cartaxo (PV), mas depositou sua confiança na conscientização.

“Também nas eleições de senador, em 2014, existiam duas máquinas contra mim e elas estavam aliadas, do mesmo lado, e nós vencemos as eleições. Agora estão divididos, estão mais fracos”, avaliou.

O emedebista garante ter o projeto de desenvolvimento para a Paraíba mais inovador entre os seus oponentes. “O que o povo quer é um projeto novo, não uma cara. A cara muda com o tempo, o que não muda é o espírito, a capacidade de sentir do povo suas reivindicações e atender com soluções efetivas”, frisou.

Aos 84 anos, Maranhão é criticado por colocar seu nome na disputa pela quarta vez. “Eu sou velho, mas não sou velhaco, como muito”, alfinetou.

Maranhão destaca seu favoritismo nos municípios e revela ser “quase unanimidade” entre a população. Ele afirmou que nos últimos anos se negou a fazer acordos espúrios. “E eles que falam tanto em juventude deveriam saber que juventude não é algo apenas da idade, é uma condição moral e espiritual”, pontuou.