Paraíba

Em Cabedelo, PM dá voz de prisão e arranca celular de repórter da Correio

Não bastasse o tumulto provocado na cidade de Cabedelo por conta de uma operação que prendeu prefeito e vereadores da localidade, nesta quarta-feira (05) o município voltou a ganhar o noticiário, dessa vez pela tentativa de impedimento ao trabalho da imprensa, que tenta fazer a cobertura dos últimos acontecimentos envolvendo a disputa pela Mesa Diretora do parlamento municipal.

Segundo informações apuradas, o repórter Ecliton Monteiro, da Rádio Correio Sat, é que foi o alvo. O comunicador teve o celular tomado por um policial militar e, logo depois, recebeu voz de prisão enquanto estava no exercício da profissão jornalística.

O repórter havia acabado de entrevistar a presidente da Casa, Geusa Ribeiro e, na saída, foi abordado na saída da Casa Legislativa pelo sargento Barros, da PM.

Após a repercussão do fato, ao vivo, durante o programa Correio Debate na rádio Correio, o aparelho celular do repórter Ecliton Monteiro foi devolvido pelo policial militar.

O sargento argumentou em conversa ao vivo com Nilvan Ferreira que tomou o celular de Ecliton porque não poderia ter sua imagem registrada em vídeo. Nilvan disse que não poderia haver censura ao trabalho do jornalista Ecliton Monteiro.

O coronel Euller Chaves, comandante da Polícia Militar da Paraíba (PMPB), informou ao repórter Ecliton Monteiro que será aberto um processo de sindicância para a investigação do caso envolvendo o sargento.

O repórter informou que o aparelho foi devolvido após o diálogo no ar entre Nilvan e o policial. Com informações PBAgora.

Tags: Tags: