Fale Conosco

A maquiagem borrou e a máscara caiu. Aquele padreco que virou político porque na Paraíba todo mundo é bom samaritano, virou as costas hoje para quem de besta lhe deu mais um mandato de deputado federal: O povo.

Luís Couto é o maior de todos os parasitas do Congresso e de nossa bancada federal é o espertinho que nada traz, nada faz, nada produz, a não ser manchetes de jornal quando defende os bandidos com o tal dos direitos humanos.

Confesso que fui duro de mais hoje com a bancada federal generalizando, quando deveria ser mais cirúrgico e dizer quem é que vira as costas quando a Paraíba precisa.

O padreco foi tão frio e cínico hoje numa entrevista de rádio que ao ser perguntado se integraria a força tarefa que intercederia em favor do diálogo entre o governador e os grevistas da Saúde e Educação, respondeu com ironia que só se interessaria se fosse um conflito de terra.

Couto já foi humilhado e quase apanhou de Ricardo em uma convenção do PT, mas por ser um alpinista político e sonhar que poderá ser o seu candidato a prefeito em 2012, engole tudo e finge que não sabe de nada.

Realmente, de tanto defender bandido com os tais direitos humanos, Couto esqueceu que sua missão é defender homens de bem.

Quando ataquei a bancada hoje em um artigo deveria ter sido mais específico.

Em Brasília, parasita tem nome: Luís Couto.