Fale Conosco

 

A relação entre o PPS e a PMJP é tão umbilical que a maioria dos seus dirigentes recebe contracheque da viuvinha para balançara a cabeça feito lagartixa. Nos próximos dias apresentarei um vídeo provando o que digo.

Apesar de ser cristã e dobrar os joelhos todo dia pra orar, a vereadora Eliza Virgínia se recusa a repetir o gesto diante dos ímpios. 

Agora é oficial: Eliza Virgínia comunica, nesta sexta-feira, ao Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba sua saída do Partido Popular Socialista. 

Eliza acatou a proposta do partido, que propôs a desfiliação a vereadora. Os dirigentes do PPS se comprometeram em não requerer, na Justiça Eleitoral, o mandato. 

Eliza foi  acusada de cometer infidelidade partidária, no diretório municipal do PPS, por não apoiar, segundo acusação, a candidatura de Ricardo Coutinho (PSB) para governador  em 2010. A denúncia foi apresentada por Olívio Santos, filiado do partido, mas o PPS propôs que a vereadora saísse da legenda, para não ser expulsa. 

Dirigentes do PPS afirmaram, que caso a vereadora permanecesse no partido iria responder ao processo disciplinar administrativo, para saber qual punição teria. Eles deixaram claro a parlamentar que ela não teria legenda para disputar as eleições 2012 pelo PPS. 

Sem opção, Eliza confirmou a sua saída da legenda e comunica sua decisão ao TRE nesta sexta. 

A vereadora adiantou que permanecerá na  bancada de oposição em João Pessoa.