Fale Conosco

Desde a semana passada está em andamento a operação ‘Volta Agra’, a nova engenharia política que quer produzir um candidato a partir de experiências de laboratório. Tudo tem a ver com uma grave crise interna do governo RC – o laboratório maior que já matou cobaias para que os experimentos sobrevivessem. RC vai morrer também, mas ainda demora.

O jornalista Luís Tôrres publicou, final de semana, a lista dos ’10 mais’ de RC, a relação de pessoas mais influentes no governo. A lista deveria chamar-se os ’10 onze mais’, porque além da dezena inclui com justiça o nome de Deusdete Queiroga, um dos agraciados a mais pelo Oscar tupiniquim. Luís Tôrres ainda vai publicar os ’10 menos’, um título de nobreza que incapacita seus ganhadores a figurar em qualquer governo que se preze. Ainda há os ‘mais invisíveis’, que são muito mais de 10, aqueles que ninguém sabe o que fazem e onde – nem mesmo o governador. Luís não está doido para listá-los.

O principal objetivo do polêmico jornalista – um dos grandes nomes da imprensa no Estado, é passar a ideia de que Nonato, o primeiro dos 10/11, não caiu em desgraça com RC. Só bastaria isso para que todo mundo pense que ele está rifado. E está.

Dois dias antes, Raissa Lacerda afirmou que o ‘Volta Agra’ não morreu. Logo em seguida João Gonçalves ressuscitou o tema como um defunto desses a quem dá um caixão e chora ao lado até a entrada da sepultura. Agra está ainda insepulto – daí porque Joãozinho espera que ele salte do caixão antes de entrar na cova. Os dois.

Antes que a semana findasse, Nonato visitou Agra, na Prefeitura. O encontro foi amplamente noticiado e fotografado. Pareceu uma dessas operações que somente a Secom de Nonato sabe fazer bem. Nonato aparece ali em pose de candidato a busca de apoio grande. Ou como aliado grande com grande apoio a oferecer. É uma das duas – não há terceira hipótese.

Vamos começar uma análise, para concluí-la posteriormente: Nonato caiu em desgraça porque desafiou RC e protegeu-se com um grupo de cangaceiros políticos que deseja criar ‘moitim’ para intimidar o governador que não banca financeiramente a eleição de aliados que não cumprem suas ordens e nem advinham suas intenções.

A tática agora será outra. Patrocinando a candidatura de Estelizabel, RC vem fazendo transposição de votos para ela. Já tem mais de 10% das intenções. Nonato com seus aliados tem menos de 3%. E a diferença vai se ampliando.

Nonato deverá jogar a toalha e apoiar a volta de Agra. É outro jogo para desafiar RC e fulminar Estela, que já fulminou Agra antes e Bandeira agora. Pegaria Pâmela por tabela. Agra está entre a vontade e o medo. Tudo pode dar errado, como vem dando, mas Luciano está feliz por renunciar à renúncia.

Mas, se der certo a operação e RC se acocorar de medo – ele que é o rei de todos os animais de sua selva -, Nonato ainda poderá aparecer como o melhor estrategista das savanas. E ai Luís Tôrres não terá perdido a avaliação – nem Nonato seu posto.

Este artigo integrará o futuro livro:

‘PREVISÕES POLÍTICAS DE UM VIDENTE CEGO’

E-mail: [email protected]