Fale Conosco

Coordenador da campanha à reeleição do PSB no Sertão, o ex-prefeito Carlos Antônio (DEM) foi condenado pela prática de improbidade administrativa. Deve-se as irregularidades na execução de convênios celebrados com o Ministério da Integração Nacional para a construção de 100 casas, além da perfuração de 30 poços no município de Cajazeiras.

Além de coordenador da campanha, Carlos Antônio é secretário estadual de Interiorização do governo Ricardo Coutinho. Ele já tem outras condenações. Uma lei estadual de autoria do deputado Raniery Paulino (PMDB) proíbe o gestor “ficha suja” ocupando cargos públicos. No entanto, o Estado desrespeita e ignora a legislação em pleno vigor.

A sentença foi proferida pela juíza Moniky Mayara Costa Fonseca, da 8ª Vara Federal, que condenou também a empresa Cesan – Construtora e Empreendimentos Santo Antônio Ltda, para junto como o ex-prefeito, devolver aos cofres públicos a quantia de R$ 331.054,85, atualizada em agosto de 2002.

Noticiada pelo site do Jornal da Paraíba, a ação foi proposta pelo Ministério Público Federal (MPF), “alegando que os recursos foram parcialmente desviados, haja vista que peritos criminais federais emitiram Laudo de Exame da Obra atestando que só foram construídas 90 casas com área de 31,08 metros quadrados, enquanto a previsão eram 100 unidades com área de 39,68 metros quadrados, deixando de ser aplicada a quantia de R$ 167.229,78, o que seria suficiente para construir mais 29 unidades habitacionais completas”.

Pior: no laudo 180/2011-PB, “verificou-se que na obra de perfuração dos poços houve um recebimento indevido pela empresa licitante no valor de R$ 163.825,07”.