Fale Conosco

O que falta para o PMDB fechar sua chapa e seguir caminho? A pergunta quem me faz é o amigo Marcos Bandeira, vereador e cunhado de Verissinho, a maior liderança política de Pombal, peemedebista histórico.

Como tenho vínculos de amizade com Pombal, titubeio antes de responder, peço um pouco mais de paciência aos meus amigos e fico entre a cruz e a espada, pois sei que lá o acirramento entre PT e PMDB é grande.

Fiz o marketing da campanha de Mayenne e perdemos para a petista Pollyana por 153 votos e até hoje ela se mantém à frente da prefeitura sem nem registro ter. Coisas dessa legislação eleitoral.

Faço o marketing da campanha de Veneziano com orgulho e não escondo isso de ninguém, pois sou profissional, e todo jornalista tem lado.

Marcos Bandeira me faz a pergunta revoltado com o que ele considera humilhação e rastejo. Fico sem saber o que dizer ao amigo e peço-lhe paciência.

Ontem ouvi no Coreio Debate o comentário pertinente de Wellington Farias, que provou que existem 15 secretários cassistas na Prefeitura de João Pessoa, o que significaria a “tucanização” da gestão Cartaxo, um prefeito que em pleno ano eleitoral entrega a máquina aos eleitores de Aécio Neves.

O jovem deputado federal Hugo Mota fez o discurso mais interessante acerca desse episódio em que integrantes do PT estão matando na unha o PMDB com o objetivo claro de sangrar a candidatura de Veneziano, pois Cássio quer o Cabeludo fora para poder vencer no primeiro turno.

As fotos de Anísio Maia com Cássio foram plantadas na mídia por cassistas para desestabilizar a relação PT/PMDB, mas declarações de Anísio foram feitas por ele mesmo para jogar gasolina na fogueira.

Agora vem a prefeita de Pombal Pollyana Dutra requentar um apoio ao governador Ricardo Coutinho após a resolução do partido deixar claro que não aceitará aliança com o PSB e o PSDB.

Convenhamos que há um flerte da gestão Cartaxo com Cássio, mas esse flerte não é do PT, que rechaça em sua resolução, mas não tem força para punir o prefeito.

Convenhamos que há um casamento da gestão Pollyana com a candidatura de Ricardo Coutinho, mas esse casamento não é do PT, que rechaça em sua resolução, mas não tem força para punir a prefeita de Pombal.

Resumindo e respondendo ao meu amigo Marcos Bandeira, eu repito Sidarta, o Buda, quando finalmente encontra o seu paraíso e vira o barqueiro que atravessa as pessoas de uma margem à outra de um rio que sempre esteve em frente a sua casa: observemos o curso do rio correndo sinuoso em direção ao mar. Ao invés de modificá-lo, naveguemos.

Amigos Marcos, Galego, Mayenne e Verissinho: Pombal não vai se decepcionar. Estamos ouvindo as vozes roucas das ruas.