Fale Conosco

E agora Agra, o que você vai fazer em relação às 300 merendeiras que vão ficar desempregadas?

Primeiro a Prefeitura de João Pessoa contratou uma empresa que fornecia uma comida de má qualidade e cheia de irregularidades, que já foram comprovadas, as profissionais que faziam a merenda nas escolas municipais eram contratadas da SP Alimentação.

Agora, com o término do contrato, as 300 mulheres estão sendo pressionadas e induzidas à pedirem demissão, após dois anos de carteira assinada pela empresa, perdendo todos os direitos adquiridos para que a Prefeitura as contrate, por seis meses, para continuarem trabalhando.

Como a PMJP se presta à um papel ridículo e, porque não dizer criminoso?

Querer que profissionais, mães de família, deixem de lado seus direitos por um contrato de salário mínimo por seis meses?

As merendeiras estiveram na Câmara Municipal para pedir ajuda aos vereadores para tentar resolver a situação, os parlamentares municipais de oposição receberam as trabalhadoras que se mostraram desesperadas.

Os vereadores de oposição enviarão requerimento para pedir uma sessão extraordinária ainda durante o recesso para discutir o assunto.

E as trabalhadoras já tem um advogado que assumiu o caso e garantiu que ingressará com um ação popular para garantir os direitos das mulheres. O advogado Josélio Vieira vai pedir, ainda, que o Ministério Público investigue a coação sofrida pelas merendeiras.